Carrinho vazio.
De forças e de fantasmas: o demoníaco no cinema clássico
×
De forças e de fantasmas: o demoníaco no cinema clássico
De forças e de fantasmas: o demoníaco no cinema clássico
R$ 80,00
4× de R$ 20,00 sem juros
vezesparcelatotal
sem jurosR$ 80,00R$ 80,00
sem jurosR$ 40,00R$ 80,00
sem jurosR$ 26,66R$ 80,00
sem jurosR$ 20,00R$ 80,00
R$ 16,48R$ 82,40
R$ 13,93R$ 83,58
R$ 12,12R$ 84,84
R$ 10,76R$ 86,08
R$ 9,70R$ 87,30
10×R$ 8,86R$ 88,60
11×R$ 8,17R$ 89,87
12×R$ 7,59R$ 91,08
13×R$ 7,11R$ 92,43
14×R$ 6,70R$ 93,80
15×R$ 6,34R$ 95,10
16×R$ 6,02R$ 96,32
17×R$ 5,75R$ 97,75
18×R$ 5,50R$ 99,00
Você poderá escolher o número de parcelas ao concluir a compra.

* Isto é uma simulação, verifique o valor final das parcelas no intermediador de pagamentos.

vezesparcelatotal
sem jurosR$ 80,00R$ 80,00
sem jurosR$ 40,00R$ 80,00
sem jurosR$ 26,66R$ 80,00
sem jurosR$ 20,00R$ 80,00
Você poderá escolher o número de parcelas ao concluir a compra.

* Isto é uma simulação, verifique o valor final das parcelas no intermediador de pagamentos.

vezesparcelatotal
sem jurosR$ 80,00R$ 80,00
R$ 40,96R$ 81,92
R$ 27,94R$ 83,82
R$ 21,43R$ 85,72
R$ 17,46R$ 87,30
R$ 14,76R$ 88,56
R$ 12,84R$ 89,88
R$ 11,39R$ 91,12
R$ 10,27R$ 92,43
10×R$ 9,37R$ 93,70
11×R$ 8,64R$ 95,04
12×R$ 8,03R$ 96,36
Você poderá escolher o número de parcelas ao concluir a compra.

* Isto é uma simulação, verifique o valor final das parcelas no intermediador de pagamentos.

Adicionar ao Carrinho
Luiz Soares Junior
ISBN 978-85-54150-00-6
1a edição 2018
358 páginas
R$ 80,00

Sinopse: De Forças e de Fantasmas: o demoníaco no cinema clássico é um livro de vulto e não se conforma aos modos e métodos e mero levantamento, descrição e comunicação em que a análise cinematográfica muitas vezes se esgota por não conseguir transcender o dado material imediato da representação. Não é pensamento com estilo; o estilo é o próprio pensamento, uma conformidade da forma com o sentido. O estilo deveria ser uma condição intelectual pois , fora da busca do estilo, não é pensamento e coração, há relatório e “bibliotecagem”. A crítica de Luiz Soares Júnior seria mais semelhante a uma autopsia espiritual do que a uma catalogação de procedimentos quantificáveis à luz de uma bibliografia. É árduo, mas é também recompensador, pois encontramos uma obra que busca um modo próprio de falar as coisas. É ousado sob qualquer ponto de vista, a começar pela dispensa da polifonia bibliográfica. econhece os seus fiadores (Daney, certo Narboni, Deleuze, Nietzsche, Scheffer), mas insiste em um ensaio livre, não em uma monografia.
Assine nossa newsletter e concorra a dois livros todo mês!